verde água

…vai para a rua de pijama (atenção ao presente do indicativo do verbo ir: “vai”. Sinónimo de recorrência. Só custou a primeira vez, desde esse dia tem sido sempre assim, salta da cama que se lixa e acompanha o horário dos manos em pijama e com fralda por trocar, o pobre!) mas não é que lhe falte roupa. No mesmo dia apareceram os avós com uns saquinhos da Pó de Talco (a minha favorita) que tinham dentro uns “perdi a cabeça” lindos, olha só:


Obrigada, avós. Se não se perderem com estes, vão-se perder com quem, não é verdade? 😄

Go, Gugu, go!

Ontem não tive tempo para escrever porque Gugu só falou às cinco e eu tenho os filhos depois disso, mas esteve lindamente, não esteve? Epa, ca ganda orgulho para a nação! Melhor que um português ter ganho o cargo de SG da ONU, só um português a ser o melhor do mundo na bola! Melhor que a Secretaria Geral da ONU, só ter ganho o Euro! E no mesmo ano, caneco, somos muita bons! E isto já se nos está nos genes desde a época áurea dos Descobrimentos, tenho eu pra mim.

Continuar a ler

Afinal não sou só eu que ando com as noites trocadas pelos dias

Atão diz que a última moda é vestir pijama para o dia a dia? Primeira reação “que disparate!” mas vendo as opções das bloggers até “sim senhor…”

E o mais giro de tudo, pese embora denote alguma senilidade da minha parte, é que acabo por me lembrar de dois pares de calças que trouxe de uma secção de roupa interior e de dormir, em tamanho L, assumidamente para me fazer os últimos dias de grávida! Dias. Não noites!

Tou supé’ na moda!

*atirando com uma melena de cabelo pra trás do ombro*